Tigre siberiano

Classificação Científica do Tigre Siberiano

Reino
Animalia
Filo
Chordata
Classe
Mamíferos
Ordem
Carnivora
Família
Felidae
Gênero
Panthera
Nome científico
Panthera Tigris Altaica

Status de conservação do tigre siberiano:

Ameaçadas de extinção

Localização do tigre siberiano:

Ásia
Eurásia

Fatos sobre o tigre siberiano

Presa Principal
Veado, Gado, Javali
Habitat
Floresta tropical densa
Predadores
Humano
Dieta
Carnívoro
Tamanho médio da ninhada
3
Estilo de vida
  • Solitário
Comida favorita
Cervo
Tipo
Mamífero
Slogan
Também conhecido como tigre de Amur!

Características físicas do tigre siberiano

Cor
  • Preto
  • Branco
  • laranja
Tipo de pele
Pele
Velocidade máxima
60 mph
Vida útil
18 a 25 anos
Peso
100 kg - 350 kg (220 lbs - 770 lbs)

Um símbolo real de força, poder e fortaleza, o tigre siberiano é um dos predadores mais ferozes do mundo.



Com seu tamanho imenso e corpo poderoso, o tigre siberiano ronda as densas florestas da Ásia Oriental em busca de presas. Especialmente adaptado para o clima frio em que reside, é um predador sofisticado, capaz de abater quase qualquer outro animal, não importa seu tamanho. Mas, devido ao valor dado ao seu pelo luxuoso e às supostas propriedades medicinais de suas partes, o animal está sob constante ameaça de extinção da atividade humana. Esforços meticulosos de conservação e proteção dos governos locais serão necessários para aumentar os números atuais da população.



IncrívelFatos sobre o tigre siberiano!

  • Outros nomes comuns para o tigre siberiano incluem tigre Amur, tigre manchu e tigre coreano.
  • O tigre siberiano é um importante símbolo mitológico para algumas culturas nativas da região em que reside.
  • Como uma impressão digital humana, dois tigres não têm exatamente o mesmo padrão de listras.
  • As listras em um tigre ajudam a camuflar o tigre, para que ele possa se aproximar sorrateiramente e matar a presa com um golpe poderoso.
  • Os tigres siberianos precisam de grandes quantidades de território natural para vagar, o que os torna particularmente suscetíveis à invasão humana e à perda de habitat.

Nome científico do tigre siberiano

O nome científico do tigre siberiano éPanthera tigris altaica. A palavra ‘tigre’ significa tigre em grego antigo. No entanto, os gregos aparentemente pegaram emprestado a palavra de outras línguas, como o persa. A palavra ‘altaica’ é derivada do nome do grupo de línguas altaico, que é falado na Ásia Central e Oriental.

O tigre siberiano é atualmente classificado como uma subespécie do tigre, o que o torna intimamente relacionado ao tigre do Cáspio, Tigre de bengala e tigre malaio. Tem havido algum debate sobre quantas subespécies de tigre realmente existem, mas uma análise genética apoiou a ideia de que existem talvez até seis subespécies distintas no total. Embora sejam tecnicamente a mesma espécie, esses grupos são separados geograficamente por milhares de quilômetros na Ásia.

O tigre faz parte do mesmo gênero que o leão , Jaguar , e leopardo . Provavelmente se ramificou do resto do gênero alguns milhões de anos atrás, talvez em algum lugar da Ásia Central. O tigre é parente mais distante dos gatos selvagens, domesticados gatos , e pumas em outros gêneros dentro da família dos felídeos.

Aparência e comportamento do tigre siberiano

Os tigres siberianos são as maiores e mais poderosas subespécies de tigres do mundo - e estão entre os animais mais poderosos de qualquer espécie em qualquer lugar. O tamanho do tigre pode variar amplamente, mas os espécimes maiores podem ter cerca de 3,30 metros de comprimento e pesar cerca de 700 ou até 800 libras, o que torna esses animais quase do tamanho de um piano de cauda.

Os tigres siberianos têm uma espessa camada de pele para protegê-los dos climas frios de seu habitat nativo. A pele consiste principalmente de colorações laranja claras ao redor da cabeça, pernas e costas, além de cores brancas adicionais ao redor dos olhos, focinho, bochechas e parte interna das pernas. A característica mais marcante do tigre siberiano são as estreitas listras pretas ao redor da cabeça e do corpo, que fornecem camuflagem e sigilo nas florestas. No entanto, ele tem relativamente menos listras em comparação com outras subespécies de tigre.

Outras características distintivas do tigre siberiano incluem as patas grossas, orelhas pontudas curtas, cabeça e focinho achatados, um grande corpo musculoso e uma cauda em forma de tubo com manchas pretas e brancas. Ele tem patas traseiras mais longas do que as anteriores, o que lhe permite pular distâncias impressionantes no ar para subjugar a presa. Suas garras e dentes longos e temíveis permitem que eles se agarrem e evitem que a presa escape.

Os tigres se comunicam principalmente por meio do olfato e de suas vocalizações limitadas. Seus longos bigodes também os ajudam a navegar em espaços estreitos, especialmente no escuro. No entanto, como muitas outras espécies de felinos, os tigres siberianos carecem de uma estrutura social complexa. Eles são criaturas solitárias que policiam agressivamente seus territórios por meio de marcas de garras em árvores ou marcas de cheiro borrifadas com urina e secreções. Isso diz a outros tigres para serem cautelosos em se intrometer nos locais de caça atuais de um indivíduo.

Apesar de sua feroz agressão territorial, esses tigres são, na verdade, animais móveis que viajam centenas de quilômetros por vez em busca de lares e oportunidades de acasalamento. Os jovens adultos do sexo masculino, em particular, podem se mover com frequência antes de estabelecer um território mais permanente. Os territórios dos machos e das fêmeas geralmente se sobrepõem ligeiramente para fins de acasalamento.



Tigre siberiano (Panthera tigris altaica) Tigre siberiano em árvore

Habitat do Tigre Siberiano

O tigre siberiano já ocupou uma faixa maior de território no Extremo Oriente da Rússia moderna, nordeste da China e península coreana. Mas, devido à perda de população, a subespécie está agora restrita a uma estreita faixa ao redor da cordilheira Sikhote-Alin, perto da costa do Pacífico da Rússia. Também é possível que o alcance se estenda ligeiramente para a Coreia do Norte e China. Esses tigres tendem a preferir as densas florestas mistas da região. Sua distribuição parece ser baseada na presença de presas na área.

Dieta do Tigre Siberiano

O tigre siberiano é um predador carnívoro que se alimenta quase inteiramente de carne. Sua dieta consiste principalmente em grandes presas unguladas (ou seja, animais com cascos), como alces, ovas veado , e javali selvagem . Outras presas em potencial incluem coelhos , salmão e até mesmo, em raras ocasiões, ursos . Eles também são conhecidos por se alimentar de gado em áreas onde tigres e humanos se sobrepõem. Eles preferem caçar à noite, quando sua presa está mais ativa.

Apesar de seu enorme tamanho, os tigres são caçadores silenciosos e furtivos que se aproximam furtivamente das presas sob a cobertura de rochas e árvores para emboscá-los e matá-los quase que instantaneamente com uma poderosa mordida no pescoço. Eles também podem correr em velocidades máximas de cerca de 30 a 40 milhas por hora por curtos períodos de tempo para perseguir a presa.

Apenas uma pequena fração das emboscadas resultará em uma morte bem-sucedida, então o tigre deve estar constantemente vigilante para boas oportunidades de caça. Eles podem comer até 60 libras de comida durante uma única noite bem-sucedida, mas podem sobreviver com muito menos se não conseguirem pegar uma quantidade adequada de comida. O tigre não costuma comer todas as partes da presa falecida, deixando para trás parte da carcaça para outros animais.

Os tigres siberianos quase sempre tentam evitar o contato com humanos, mas sabe-se que alguns animais comem pessoas se sua presa tradicional estiver ausente ou se eles não puderem caçar porque estão doentes ou velhos. Esses tipos de 'maneaters' são raros, mas depois que começam a comer carne humana, muitas vezes podem torná-la uma parte regular de sua dieta.

Predadores e ameaças do tigre siberiano

Um tigre siberiano adulto enfrenta poucas ameaças naturais de outros animais, exceto os raros casos de morte por Lobos ou ursos . No entanto, apesar de seu relativo isolamento das populações humanas, tanto a caça ilegal quanto a perda de habitat dos humanos são problemas persistentes. Os tigres siberianos são caçados por vários motivos, incluindo seu uso em roupas, troféus e medicina tradicional. O desenvolvimento da região para extração de madeira e agricultura também contribuiu para o declínio do tigre siberiano.



Atualmente é considerada uma subespécie em extinção.

Reprodução, bebês e longevidade do tigre siberiano

Os tigres siberianos não têm programação de reprodução fixa. Em vez disso, eles podem acasalar em qualquer época do ano. O ciclo de acasalamento geralmente começa quando um dos tigres deixa marcas de cheiro ou arranhões nas árvores próximas para atrair seu parceiro. O homem e a mulher se encontrarão e passarão alguns dias sozinhos. O macho partirá logo em seguida, deixando a fêmea para cuidar e criar os filhotes sozinha.

Depois de carregar os filhotes por nascer por cerca de três meses, as tigresas produzirão ninhadas de dois a seis filhotes por vez. Como geralmente nascem cegos dentro de tocas, os filhotes são mais vulneráveis ​​durante este período e requerem bastante cuidado e atenção. A fêmea pode deixá-los sozinhos na toca por curtos períodos de tempo enquanto procura por comida.

Demora alguns meses até que os filhotes sejam totalmente desmamados do leite materno. A mãe deve então não apenas caçar para si mesma, mas também para seus filhotes que crescem rapidamente, que se tornarão mais autossuficientes por volta dos 18 meses de idade. Eles permanecerão com a mãe por dois a três anos, após os quais irão vagar por conta própria e estabelecer seus próprios territórios.

Os tigres siberianos têm uma vida útil semelhante a outras espécies de felinos. Supondo que morram de causas naturais, geralmente vivem pelo menos oito anos na natureza. No entanto, alguns tigres vivem bem em seus vinte anos. Eles podem viver ainda mais em cativeiro.

População de Tigre Siberiano

o União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) A lista vermelha, que categoriza o status de conservação das populações animais em todo o mundo, atualmente lista o tigre siberiano como uma subespécie ameaçada de extinção, desde que estava criticamente ameaçada de extinção em 2007. O tigre siberiano provavelmente atingiu seu auge no século 19, quando perambulou por grande parte do Península coreana e partes da Manchúria. Porém, após anos de esgotamento, acredita-se que a população atingiu o mínimo de 20 a 30 indivíduos na década de 1930.

Graças aos diligentes esforços de conservação, os números já se recuperaram para centenas. Com base nas estimativas populacionais de uma pesquisa de 2005, havia cerca de 360 ​​indivíduos na natureza, 250 dos quais estavam em idade reprodutiva. Outra estimativa de 2015 sugere que existem aproximadamente 500 tigres siberianos remanescentes no leste da Rússia. Um número considerável de tigres siberianos também são mantidos e criados em cativeiro.

Parte desse sucesso pode ser atribuído à cuidadosa proteção e manutenção das populações de tigres selvagens e à proibição do comércio internacional e doméstico de partes de tigres. No entanto, a caça furtiva ilegal (bem como a aplicação negligente de protocolos anti-caça furtiva) continua a representar uma ameaça significativa à sua sobrevivência. Outro problema significativo é a baixa diversidade genética devido ao número decrescente da população. Os conservacionistas esperam aumentar ainda mais o número da população reintroduzindo o tigre siberiano de volta em partes de sua antiga distribuição mais ao oeste e ao sul.

Ver todas as 71 animais que começam com S

Artigos Interessantes